O que é o Blockchain?

Blockchain ganhou o título da palavra do ano. Está realmente lá? Se for, isso realmente mudará tudo? Como isso afetará o sistema de saúde?

Blockchain: mais transformador do que Trump em Twitter

Don Tapscott, o autor do livro intitulado ”Blockchain Revolution” disse na sua soberba e sensata palestra TED que o blockchain é a tecnologia que provavelmente terá o maior impacto nas próximas décadas. Não, não são redes sociais. Não, nem dados grandes, nem robótica, nem sequer inteligência artificial. É a tecnologia atrás da criptomoeda, o Bitcoin.

Então o Blockchain terá mais poder de transformação nas nossas vidas do que o Facebook, Instagram e Donald Trump usando Twitter para a diplomacia? Como? Porquê? Isto é certo ou está-se formando outra bolha em frente aos nossos olhos?

A rapidez do Blockchain

Ao observar quanto rápido estão adotando as empresas o blockchain em várias industrias, vale a pena considerar a última pergunta. Segundo Transparency Market Research, espera-se que o mercado global de tecnologia blockchain valhará $ 20,000 milhões até os finais de 2024.Em comparação com $ 315,9 milhões em 2015.

Prevê-se que o mercado global mostre um crescimento anual de 58,7% entre 2016 e 2024. Vá , mais rápido que a Tesla Roadster vermelho de Elon Musk no espaço. E os propulsores desta expansão massiva são os inovadores. Também as empresas de nova criação, empresas inovadoras nas finanças, vendas pelo menos e a fabricação, o governo e a saúde.

Quando se vai adotar esta tecnologia

Devido aos laços do blockchain com as criptomoedas, a maioria das pessoas acha que o sistema financeiro adotará a tecnologia o quanto antes, mas a velocidade da cadeia de subministro de assistência médica parece superá-la. Um novo estudo do blockchain de IBM Institute for Business Value, Healthcare Rallyies for Blockchain, investigou 200 executivos de atenção médica em 16 Paises. Descobriram que 16 porcento não só experimentaram, mas esperam ter uma solução comercial de blockchain à escala em 2017. Além disso, segundo a estimação do IBM, outro 56 porcento seguirá aos primeiros adotantes até 2020. Isto significa dentro de dois anos!

Portanto é hora de dar uma vista de olhos de como e porquê a tecnologia detrás de Bitcoin, a criptomoeda que em parte impulsiona o comércio dos delinquentes na rede escura, poderia converter-se na pedra angular da assistência médica futura. Mais brevemente, viremos o que é a cadeia de blocos.

Blockchain é a nova palavra para a confiança online

A caricatura desenhada por Peter Steiner para The New Yorker em 1993 está principalmente associada com a tema do anonimato no Internet. Há problemas mais profundos em relação à confiança, à credibilidade, à segurança e à privacidade. Na era das notícias falsas e a fraude online, não é surpreendente para ninguém que proteger a informação é difícil, como também os processos de comunicação ou o comércio online. E é especialmente importante no caso da informação tão delicada como dinheiro ou dados de atenção médica.

No caso do dinheiro, os intermediários centrais, como os bancos e outros, estabeleceram confiança e credibilidade. Transferir dinheiro através da conta bancária online sabes que é seguro porque confias na instituição bancária que o processa. Mas em caso das transações online, houve outro problema onde os intermediários confiáveis foram uma solução durante anos. O problema das duplicações. Quando se envia um correio eletrónico com uma fotografia como anexo, a imagem se duplicará automaticamente. Então como te asseguras que isto não acontecerá com o teu dinheiro. Que o dinheiro bem ganhado desaparecerá da tua conta bancária e aparecerá em Amazon, por exemplo. Em caso dos activos digitais como o dinheiro, ações ou propriedade intelectual, a não falar de registos eletrónicos de saúde, a autenticação e a responsabilidade são elementos chave.

Os bancos e o Blockchain

Ainda assim, os intermediários como os bancos são demasiado lentos e muito caros. Enquanto que um correio eletrónico chega em segundos na caixa de outra pessoa, uma transferência internacional pode demorar vários dias, incluso semanas. E nem sequer é seguro, uma vez que poderia ser pirateado mais fácil devido à natureza centralizada dos bancos. Como resposta a todos estes problemas Satoshi Nakamoto, programador japonês, planeou a primeira moeda digital do mundo. O Bitcoin, e o sistema de suportes subjacente, o Blockchain. Desde então, apareceram vários tipos e versões modificadas da tecnologia. The Economist explica: Blockchain permite uma economia onde a confiança não está estabelecida através de intermediários centrais. Mas através de consenso e códigos informáticos completos. Permitem que as pessoas que não tenham uma confiança particular no outro colaborem. Mas sem ter que recorrer a uma autoridade central neutra. Em poucas palavras, é uma maquina para criar confiança.

bitcoins

Blockchain é como um cachecol tricotado pela sua avó

O conceito e o funcionamento da tecnologia são bastante difíceis. Mas talvez seja mais fácil de imaginar utilizando uma metáfora bem descrita pelo Nathan Heller em The New Yorker. No seu artigo sobre Estónia como uma republica digital , disse que uma cadeia de blocos é como um cachecol tricotado pela tua avó. Ela usa uma bola de fio e o resultado é contínuo. Cada pontada depende da anterior. É impossível eliminar parte da tela, ou substituir uma amostra sem deixar rastos: alguns nós reveladores ou uma mudança no ponto.

Quando The Medical Futurist perguntou o Ivo Lohmus de Guardtime, que é uma companhia da Estónia que desenvolve K.S.I. Blockchain tecnoligy, disse que o imaginava como um livro de registos partilhado, ou em termos mais técnicos, uma base de dados distribuída que está desenhada de uma maneira tão inteligente que tudo que se agrega a esta base de dados é imutável. Como se estivesse esculpido em pedra. Qualquer mudança se torna imediatamente evidente. Outro aspeto do sistema é que não existe uma autoridade central que decide o que está bem ou mal. Os participantes devem chegar a um consenso, articular alguma visão compartilhada do mundo.

Como se tomam as decisões sobre a informação consensual

Existem alguns métodos para criar uma decisão sobre uma nova entrada baseada no consenso particular. Collin Thompson de Medium explica a prova do processo de trabalho utilizado de Bitcoin como sendo a seguinte : Quando uma transação digital é realizada, a mesma é agrupada junto a um bloco criptográfico protegido com outras transações que ocorreram nos últimos 10 minutos e enviada na inteira rede. Os mineiros ( os membros da rede com um alto nível de poder de computação) validam a transação resolvendo o problema codificado complexo. O primeiro mineiro ao resolver o problema e validar o bloco recebe uma recompensa. O bloco validado da transação e então é registado com a respetiva data e adicionada a cadeia numa ordem cronológica.

Os novos blocos da transação validada é vinculada aos outros blocos, construindo uma cadeia de blocos que refletem cada transação efetuada no historial do respetivo blockchain. A inteira cadeia e atualizada contínuo, então toda a informação na rede é igual, dando a cada membro a habilidade de provar quem possui quê em cada momento.

Os benefícios do Blockchain

A tecnologia tem numerosos benefícios para as transações online, em especial no campo dos ativos digitais, como os dados medicais. A natureza sensível do tempo do Blockchain permite que qualquer dado se pode mover em redor deste formato particular só uma vez dentro da rede. Os blocos são impossíveis de se modificar, só as novas entradas podem ser adicionadas à rede. Isto torna-se crítico em caso dos dados medicais. Imagine só o que pode acontecer se alguém mudar a um paciente o tipo de sangue no sistema de registos de saúde sem que alguém repare.

Mais ainda, Ivo Lohmus disse tantas vezes, como em caso do K.S.I blockchain , que é o sistema de registos de saúde na Estónia, o blockchain não tem ligação direta com os dados. Através do processo criptográfico, uma única identificação do dado, o ”hash” , é criado , e funciona de maneira similar à impressão digital. Enquanto se pode identificar qualquer pessoa em base da impressão digital, não se pode ”reconstruir” toda a pessoa. E no final, os blockchain são baseados no consenso das participantes na rede, o acesso aos dados podendo ser permitido.

Beneficios de segurança

Além da garantia da autenticação e da credibilidade, o blockchain traz também benefícios de segurança sem precedente. Os ataques hackeados que têm um impacto tão frequente nos intermediários centralizados como os bancos, são praticamente impossíveis de acionar no blockchain. Por exemplo, se alguém quiser hackear num bloco em particular ou o blockchain, o hacker não só necessita de hackear aquele bloco especifico mas também os blocos precedentes, indo atrás na inteira historia do respetivo bloco. E terão que fazê-lo em cada laço da rede , que pode representar milhões, em simultâneo.