Há uns dias que a gama alta de Samsung acaba de estrear a sua décima geração. O faz somando novos modelos à família. Neste artigo centramo-nos nos clássicos. Os Galaxy S10 e S10+. Mas isto não é tudo. Tens que saber que existe um terceiro modelo chamado Galaxy S10E e até um quarto modelo com 5G. Embora este último não chegará antes do verão.

Vamos pelos Galaxy S10 e S10+. É a estreia dupla desta nova família Samsung Galaxy S10 que estreia novamente. Aqui vamos contar-te, mas te adiantamos que uma delas é o leitor de impressões digitais debaixo do ecrã, a câmara tripla ou os furos no ecrã.

O desenho superior do Galaxy S10. Olá ao ecrã com furo.

Seguramente o furo no ecrã é a mudança menos importante ao nível de utilização. Mas nós apercebemos que é o que mais chama a atenção aos futuros utilizadores, Com os Samsung Galaxy S9, a marca demonstrou que não precisa de notch para ter uma boa relação corpo/ecrã. Embora a Samsung tentou evitar o notch , todos sabemos que a tendência do desenho ”todo ecrã” tem vindo a evoluir sob a demanda dos utilizadores no ano passado. E a concorrência deste gigante coreano, evoluiu neste aspeto.

O ecrã Infinity O e um furo mais discreto do que parece

Sem duvida que os Galaxy S10 são muito mais animados, tentando trazer mais brilho ao ecrã Infinity O. Em lugar de ter o famoso notch onde é colocada a câmara, esta se situa num design de buraco. Com os Galaxy S10 temos um orifício redondo e com o Galaxy S10+ é mais ovalado porque dispõe de duas câmaras traseiras.

O design de buraco do ecrã do Galaxy S10 está muito bem integrado. A verdade é que parece muito mais natural e discreto do que parece à priori nas fotos. Ao principio choca um pouco mas de seguida te apercebes que se integra perfeitamente com o painel e te apercebes que está só presente. A verdade é que a Samsung foi inteligente ao por fundos de ecrã que se tornam mais escuros na parte superior para dissimula-lo ou integra-lo mais. Sinceramente, na abertura de qualquer menu com fundo branco não é tão exagerado como inicialmente se pode pensar ao ver as primeiras imagens.

É melhor que o notch?

O design de buraco do ecrã que substitui o notch continua a ser um elemento que faz parte dele. Mas a verdade é que o simples facto que está num canto o torna menos intrusivo, menos grosseiro e mais discreto que nos Galaxy S10.

Agora falta ver como se comporta com aplicações de terceiros.

Samsung conquistou um frontal mais limpo do que a geração anterior. Sinceramente não é muito grande mas como está presente estraga um pouco o efeito que se procura num ” ecrã completo”.

Tamanhos ecrã

Se falamos sobre os tamanhos do ecrã, o Galaxy S10 tem um painel de 6,1 polegadas e o Galaxy S10+ impõe-se com 6,4 polegadas. Neste caso ambos são em formato 19:9.

São aparelhos grandes como se pode verificar, mas a verdade é que a sensação na mão não é robusta mas muito boa.

Mais bateria e menos peso.

Alem da sua ligeireza, tendo em conta que os materiais continuam a ser o metal e cristal. Ah !e que as baterias cresceram bastante. Para que todos o compreendamos bem, o Galaxy S10 tem 400mAh mais e pesa seis gramas menos que o S9. Sim, assim é como o lês. Viva a tecnologia, a inovação e a evolução para melhorar a qualidade dos produtos e porque não a vida das pessoas. Enquanto o Samsung Galaxy S10+ aumenta a bateria em 600mAh e pesa 14 grames menos. Dez pontos para Samsung, admitimos.

O trabalho de compactação é excelente, O Galaxy S10 tem 400mAh mais e pesa seis gramas menos do que o anterior Samsung Galaxy S9. Enquanto que o S10+ suma a bateria em 600mAh e pesa 14 grames menos.

E já chegados na parte frontal, vamos falar sobre o ecrã. Samsung continua fiel à AMOLED. Mas nesta ocasião estreia um sistema batizado Dynamic AMOLED. Os dois modelos se destacam em oferecer um bom contraste com o preto puro, grande nitidez, boa reprodução da cor e um nível de brilho muito alto. Com certeza, continuamos com os laterais curvados, mas desta vez a curva é bastante ligeira e se distancia do que vimos nas anteriores gerações.

A parte traseira do Galaxy S10

Passamos agora a analisar à parte traseira do aparelho. Aqui o módulo da tripla câmara ganha todo o protagonismo. A razão é simples, é o único que temos aí, ademais logicamente, o logo do Samsung.

De facto, o leitor de impressões digital ”desaparece”. Mas vamos contar-te de seguida sobre isso. Samsung decidiu a colocação em plano horizontal para as câmaras. Com a particularidade diferencial da pastilha vertical que já vimos no seu tempo com o Galaxy A9.

Neste espaço localizam-se três câmaras, o flash e o medidor do ritmo cardíaco. Sim, sim, este medidor decidiram integra-lo. E constataram que se tornou muito útil para os utilizadores. Ou pelo menos para a maioria deles. Mas este facto faz com que o módulo fotográfico seja muito estreito. Talvez demasiado para o gosto de muitos utilizadores. Também é verdade que quase não sobressai.

Antes de começar falar sobre o sensor de impressões digitais que mencionamos há momentos, não quero esquecer contar sobre os acabamentos. Comentamos que a parte traseira é de cristal, mas também há uma edição especial do Samsung S10+ em cerâmica. Sim, leste bem. E ademais estará disponível em branco e preto. Creem-nos, é impressionante. Na versão de cristal as impressões digital notam-se e precisas de limpá-lo constantemente. Na versão de cerâmica não se notam.

O sensor de impressões digital invisível do Galaxy S10

O sensor de impressões digital é, sem duvida, um dos grandes desafios para Samsung, Mas tendo em conta a câmara frontal os rastos foram reduzidos. A solução rápida e simples foi passá-lo na parte traseira, é o que já vimos de Samsung há dois anos com o Samsung Galaxy S8.

Embora seja verdade, ter o leitor atrás não é muito cómodo, nem prático, se o desejamos por exemplo em cima da mesa. Os últimos avanços tecnológicos nos permitem integrar o leitor de impressões digital debaixo do ecrã. O vimos em alguns telemóveis chineses, como recentemente o Huawei Mate 20 Pro. Uma vez mais, a Samsung seguiu pelo caminho correto da evolução.

Tanto o Galaxy S10 como o Galaxy S10+ estreiam um leitor de impressões digital ultrassónico que se localiza debaixo do ecrã AMOLED. O processo de registo da impressão digital é eficaz, mas também temos que dizer que é mais lento do que os leitores tradicionais. Em conclusão é muito cómodo e prático.

O leitor de impressões digital ultrassónico no ecrã do novo Galaxy S10 é rápido e ademais também funciona com o ecrã apagado.

O desbloqueamento do sensor de impressões digital

Temos que mencionar também que a área de desbloqueamento não é muito grande. Mas é rápido e funciona com o ecrã apagado, como comentamos anteriormente. E isto converteu-se num ponto chave para que o sistema resulte muito cómodo. Sem dúvida, a atração é que a área de desbloqueamento é muito pequena. Assim que se no momento em qual mexemos o polegar um pouco não o reconhece. Também não é muito preocupante, uma vez que se temos o dedo colocado corretamente não existem mais problemas.

Mas há mudanças na secção biométrica. Seguimos com as evoluções tecnológicas por parte do Samsung. Após umas quantas gerações a apostar para o sensor de íris, o gigante coreano Samsung tomou a decisão de esquecer este elemento nos S10. No seu lugar temos um sistema de desbloqueamento facial. Embora temos que mencionar que é bidimensional, a segurança não é de tudo excelente. O reconhecimento é de grande velocidade mas neste caso sim é preciso activar o ecrã para que nos detecte. Samsung inclui, com esta ocasião, uma função que ativa o ecrã do Galaxy S10 ao levantar o aparelho à altura da nossa cara.

Câmara tripla na família Samsung Galaxy S

Como já comentamos na parte do desenho, os Galaxy S10 e S10+ levam uma câmara tripla na parte traseira. Esta se encontra colocada num modulo horizontal. Relembramos que já vimos câmaras duplas e quadruplas em Samsung, mas até à data nenhuma tripla. Vamos ver de seguida o que esta nos oferece.

A aposta fotográfica que caracteriza Samsung inclui uma lente super grande- angular. Ademais uma angular e uma tele,. Exato, como o leste. Quer dizer, podemos fazer zoom desde 0,5 até 2 aumentos. Como o vês?

Esta aposta fotográfica de Samsung para a família do ”capitão” inclui de novo elementos que já vimos em modelos anteriores. Por exemplo a abertura variável (Galaxy S9, Galaxy Note 9) ou também o sistema de zoom ( A9).

Temos uma câmara principal de 12 megapíxeis com tecnologia Dual Pixel. Até dá vondade de te tornar fotografo profissional, o admitimos. Também dispõe de um estabilizador óptico, lente angular de abertura variável f/1,5-2,4 e enfoque automático. Ainda há mais. Também desfruta e defrutares de uma câmara de 16 megapixeis com lente ultra grande – angular e abertura f/2,2.  Nesta ocasião e neste caso, com enfoque fixo. Finalmente, temos a câmara de 10 megapixeis com lente tele objetiva, abertura f/1,9, enfoque automático e estabilizador óptico. Até agora o que achas? Pois igual a nós, alucinado é pouco.

Zoom sem perder a qualidade

Se o levamos à pratica este combo se traduz que podemos fazer zoom desde 0,5x ( grande- angular) até 1x aumentos sem perder a qualidade que sempre desejamos ter em todas as nossas fotografias. Na aplicação da câmara temos três icones para navegar entre estes sistemas de forma rápida e simples. Embora também é certo que podemos ajustar o enquadro utilizando o deslizador e esse é algo que não podíamos fazer no modelo Samsung Galaxy A9 se queremos passar de angular à normal.

A aplicação da câmara estreia algumas cosas fixe como novidade. Como por exemplo o reconhecimento de cenas melhorado. Este inclui até 30 opções diferentes e implementa uma NPU. Ademais tem um modo de ajuda chamado ”sugestão de disparo”. Assim que a aplicação nos vá a ajudar aconselhar-nos para enquadrar melhor ou nivelar a linha de horizonte, etc. Ademais, estreia um modo de vídeo com estabilização melhorada chamado Super Steady Shot.

O modo de ultra grande-angular consegue um quadro super aberto e ademais corrige bem as imperfeições que este tipo de zoom pode encontrar. No modo normal temos um enquadro mais ou menos bom , intermédio mas bem. Com o terceiro modo, o de tele podemos aproximamos bastante do objeto que queremos fotografar. Temos que dizer que também é possível aproximamos mais, mas vamos entrar no zoom digital e a qualidade se vá a perder.

Resultado das imagens

No geral temos que dizer que o resultado consegue umas cores bastante fieis à realidade em cenas de espaços fechados. Embora a nitidez ao ampliar a fotografia não é de todo boa devido a luz. No entanto, se começa a experimentar senas diferentes, abertos, fechados e com tonalidades e intensidades de luzes diferentes, para acabar de opinar sobre o resultado das imagens no Samsung Galaxy S10.

Nas câmaras traseiras não há diferenças, mas o frontal de Galaxy S10+ conta com lente dupla. Assim mesmo, o Galaxy S10 tem uma única câmara. Esta característica permite ao modelo tirar selfies normais ou em modo grande-angular. Este detalhe pode gerar expectativas altar para quando tiramos fotos de grupo.

Até 12 GB de RAM e carregamento sem fio reverso em Galaxy S10

OS GALAXY S10 apostam forte e apontam muito alto no campo do hardware. Começar o dito poder da tecnologia para o chip Exynos 9820 fabricado com o processador de 8 nanómetros. Ou sem ir mas longe , a memoria RAM que arranca com 8GB e chega aos 12GB na versão mas avançada do S10+, que também terá 1TB de capacidade. Algo que nós como especialistas profissionais de tecnologia informática, nos encanta.

Samsung incluiu algumas melhorias ao nível de potencia. Sobre todos focados para o gaming. Atenção gamers com o poder aquisitivo alto. E trata-se de refrigeração Vapor Chamber Cooling , a compatibilidade com Unity Game Engine ou os auriculares estéreo com Dolby Atmos Eah. Que vos parece?

O carregamento sem fios reverso é uma das novidades mais chamativas e destacadas desta nova evolução de Samsung. Mas para gostos , cores e para nós uma das coisas que mais nos atraiu é o aumento da capacidade das baterias , de 3,400 mAh no Galaxy S10 e 4,100 mAh no Galaxy S10+, E também com o sensor de impressões digitais e as melhorias das resultados fotográficos. Embora estamos a experimentar para o descobrir mas.

Mas detalhes da carga sem fios reverso

Não temos alguma duvida que a parte energética é uma das mais destacadas do software. Neste caso a razão é óbvia, Trazem carga sem fios reverso. Isto quer dizer que podemos carregar outros dispositivos só ao pô-los em cima do Galaxy S10 ou o Galaxy S10+.

O aumento da capacidade é outro ponto imprescindível que era necessário. E Samsung o fez, de novo. Este aspeto chave nos dá 3,4 mAh no Galaxy S10 e4,100mAh no Galaxy S10+.

No que diz respeito às conexões, volta a existir novidades. Como por exemplo o suporte para WiFi 6. E a compatibilidade com LTE Gigabit. O suporte para 5G será limitado para a familia Galaxy uma vez que fica reservado unicamente para a versão especial que sai em verão. E para pontualizar temos que dizer que tem quatro câmaras traseiras, três frontais e um ecrã maior. Como te parece? Não sabemos se realmente é necessário tantas mas com certeza que quando os vais descobrir os vais aproveitar ao máximo.